Encontro #24, módulo 3

Apesar de saber que a gente nasce e morre sozinho, nossa trajetória de vida só acontece de verdade porque sabemos compartilhar, dividir e acreditar em nós e no outro. O 24º encontro, foi sobre isso: intimidade, respeito e, acima de tudo, CONFIANÇA.


Os nossos oficineiros, Gera e Luciana, propuseram que idealizássemos uma cena TEATRAL para apresentarmos em grupo, cujo tema seria alguma realização e obstáculo superado. Para isso, neste encontro, demos início à algumas atividades que nos instruíram – e emocionaram! – pra chegarmos ao nosso objetivo. Pra começar, nos alongamos e tivemos dois aquecimentos: Maia Mandou na qual só podemos realizar a ação quando a ordem vier acompanhada de "Maia Mandou" e um Gato e Rato adaptado. Foi divertido e muito importante para começarmos as atividades com tudo!


Feito isso, Gera e a Luciana delimitaram uma área que chamaríamos de "espaço cênico". É ali que ficaria nossa plateia. Fizemos uma roda em volta deste cenário e poderíamos entrar conforme sentíssemos vontade, desde que nos preocupássemos em manter o espaço equilibrado, como um barco que precisa ter o peso bem distribuído para não virar. Depois, toda a galera saiu e escolheram cinco pessoas para ficar no espaço: quatro em cada ponta e uma no meio. A pessoa do meio tinha que contar uma história enquanto o restante devia trocar de lugar uns com os outros rapidamente para que o do meio não tomasse seus lugares. Quando o narrador percebia um lugar vago, tem que correr para ocupa-lo e quem sobrou dava continuidade pra história que estava sendo contada. Num misto de tensão e alegria, alguns preocupados em fugir do lugar de narrador e outros querendo evitar a movimentação, percebemos cada vez mais como é importante entender o tempo do outro e acreditar que dá pra ter CONHECIMENTO DO OUTRO SEM CRITICAR. Somos únicos e são nossas peculiaridades que nos tornam tão importantes. Nem sempre concordaremos com as mesmas coisas ou teremos ideais parecidos, mas o respeito vem em primeiro lugar!


Ainda na vibe de COMPANHEIRISMO, chegou a hora de botar em prática nossa CONFIANÇA NA EQUIPE. Dividimos em dois subgrupos, fizemos um círculo de pessoas, com apenas um participante dentro da roda. Este, feito um pêndulo, deveria soltar-se e permitir-se cair, pro restante do grupo segurar. Parece um exercício banal, mas foi muito EMOCIONANTE. Cada vez mais a gente tem certeza de que é pela CONFIANÇA no outro que as coisas fluem melhor e atingem o seu ápice. É interessante notar como estamos cada vez mais unidos, perdendo o medo da exposição e trabalhando nossos receios de maneira acolhedora e divertida. Pra melhorar e ficar ainda mais legal, juntamos o grupo inteiro em um só e, feito show de rock, carregamos e movimentamos uma pessoa! Foi ÓTIMO!


Por fim, fechamos o encontro de hoje com o "Jogo de Cenas". Em duplas, nós deveríamos compartilhar com o outro uma história pessoal de SUPERAÇÃO. Juntos, os componentes da dupla decidiam qual relato seria contado pro resto do pessoal, mas sem afirmar de quem era a história original. A dinâmica consistia em assumir o papel de protagonista e contar pro resto do grupo adivinhar de quem era aquela narrativa. No final, votávamos em quem acreditávamos ser o dono da história. Apesar da incerteza na hora de votar, foi muito legal perceber que, ao se colocar no lugar do outro, tudo fica mais fácil de ser compreendido. A empatia é a chave para bons relacionamentos interpessoais, né?


No próximo encontro, daremos continuidade a essas propostas e provavelmente iremos desenvolver uma cena final do grupo como um todo. Vai ser demais!


Até lá!