Encontro #14, módulo 2

O que nossas memórias têm a ver com a maneira com que nossa cidade está organizada? Essa reflexão guiou nosso 14o encontro. Nele, a gente pôde desbravar todos os limites e ressignificar os lugares que a gente jurava que conhecia como a palma da nossa mão. Foi uma DESCOBERTA perceber o tamanho da nossa cidade! Percebemos quão DIFERENTES são os espaços que já circulamos e os que ainda podemos ocupar.


Hoje tivemos a primeira participação do Rafael Limongelli, que vai ministrar 6 encontros sobre a Cartografia Afetiva. Achou o nome diferente? Então acompanhe os próximos encontros! O aquecimento da vez foi na quadra, circulando e caminhando por ela, fomos sentindo o espaço e fizemos uma nova OCUPAÇÃO do território! Nos fixamos em objetos, andamos de olhos fechados, memorizamos o espaço e isso nos desafiou a engajar nosso corpo na proposta pensada para o dia!


Ao voltarmos para sala, fomos dividimos em dois grupos e cada um recebeu um mapa de São Paulo, sem as suas delimitações de regiões e bairro. Juntos, deveríamos marcar a localidade que a gente acha que mora. Depois, com um outro mapa na mão, comparamos se nossas apostas foram boas. Foi LUMINOSO perceber como as cidades podem ser ARQUITETADAS. Alguns marcaram longe demais, outros bem pertinho, alguns acertaram... Foi um (re)CONHECIMENTO GEOGRÁFICO super INTERESSANTE!


Para dar continuidade à atividade e fazer com que nos familiarizássemos mais com os MAPAS e com esse tipo de linguagem, recebemos um outro mapa e nele deveríamos traçar as ROTAS que fizemos durante a última semana. Foi uma baita VIAGEM percorrer os locais do nosso cotidiano com um outro olhar.


Para entendermos ainda melhor a amplitude do assunto, o Rafa nos mostrou algumas imagens de satélite. Vimos a concentração de luzes nas zonas mais urbanas de São Paulo, comparamos com a quantidade de luzes do Rio de Janeiro e pudemos visualizar um processo de conurbação entre elas. Reconhecemos as imagens de Dubai, nos aventuramos nas fotos de Tóquio.... Tudo muito ESPECIAL, bonito e EXTRAORDINÁRIO! E tudo isso sem pegar nenhum UBER, utilizando apenas nosso GPS interno!!


Transitando entre o ANALÓGICO e o DIGITAL, nosso encontro foi chegando ao fim. Foi muito INFORMATIVO notar que o mundo que a gente conhece é só uma parcela desse universo TERRITORIAL todo que iremos descobrir.